Paixões tristes e pequenos prazeres

Paixões tristes e pequenos prazeres: deixe de viver pela metade

Série Aprendendo a Pensar: Quem Pensa em Nós?
Episódio 22/100

Alguma vez vc já recorreu a pequenos prazeres, como comprar uma roupa, pensando em compensar alguma tristeza?

E percebeu mais tarde que esse jeito de responder a uma tristeza era uma compensação inútil, que essa fuga acabava por aumentar sua frustração e deixava sua vida ainda mais vazia?

Ou vc é esse tipo de pessoa que sempre percebe que isso pode ser uma fraude e não adimite compensar, pois sabe que nenhuma recompensa desse tipo preencheria esse buraco existencial?

É natural buscarmos pequenos prazeres principalmente quando, depois de uma queda, ou de um golpe, ou de uma decepção, precisamos nos levantar e seguir vivendo, caminhar de novo, com outro andamento.

Quando sentimos a necessidade de mudar, é natural querer trocar um afeto por outro, como diz Spinoza. Quando nosso jeito de viver gera frustrações e somos tomados por paixões tristes, procuramos trocar essa paixão por uma paixão contrária, uma paixão alegre e mais forte que nos faça mudar de rumo e encontrar um outro modo de seguir na vida.